NOTÍCIAS

Voltar

ARGENTINO PELLA CONQUISTA PRIMEIRO TÍTULO DA CARREIRA NO BRASIL OPEN

Tenista de 28 anos encerra jejum em final contra chileno Garin após ter perdido suas quatro decisões anteriores

São Paulo, 03 de março de 2019

O argentino Guido Pella é o campeão da 19ª edição do Torneio Aberto do Brasil - ATP 250 - Brasil Open 2019, conquistando o primeiro título de sua carreira. O tenista de 28 anos superou na decisão o chileno Christian Garin com parciais de 7/5 e 6/3 neste domingo (3), no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.
 
O título dá a Pella US$ 94.830 de premiação e 250 pontos no ranking da ATP, que levarão o argentino à 34ª colocação da lista da ATP. Já Garin levou US$ 51.280 e 150 pontos após sua primeira decisão.
 
Pella enfim levantou seu primeiro troféu de ATP na quinta decisão que disputou. Ele é o terceiro argentino a vencer o Brasil Open em simples. Os anteriores foram Guillermo Cañas em 2007 e Federico Delbonis em 2014. Já Garin perdeu a chance de ser o primeiro chileno a vencer um ATP desde Fernando González, há 10 anos, em Viña del Mar.
 
“Depois da final que perdi em Córdoba, pensei que nunca mais teria a chance de ganhar. Estava muito mal, porque achava que aquela final era minha. Logo no início ele teve 0-40, mas depois disso fiquei tranquilo e acho que hoje fui superior o jogo inteiro, não me apressei. Estava um pouco nervoso, eu aproveitei isso e por sorte consegui quebras em momentos importantes”, afirmou Pella.
 
A primeira quebra de saque da partida veio no nono game do primeiro saque, quando Pella acertou uma bola vencedora de devolução no segundo saque de Garin. O chileno devolveu a quebra logo em seguida, mas Pella venceu os dois games seguintes para fechar a parcial. No segundo set, o argentino abriu 2/0 e quebrou novamente no último game do jogo para garantir a vitória.
 
Após o match-point, Pella ajoelhou no saibro e deu um abraço em seu técnico, Jose Acasuso. “Sentia que a minha carreira estava totalmente estancada. Tinha feito quatro finais, agora era a quinta e eu sentia que precisava de um título. Dei um abraço nele, porque acabou o fantasma, saiu uma mochila das minhas costas. Cumpri o que queria que era ganhar um título, além de ganhar a Copa Davis”, comentou o campeão.
 
Já Garin tentou ver o lado positivo de sua campanha. “Claro que dói muito perder uma final, mas tenho que aceitar. Tive chances no 5/5 do primeiro set e poderia ter sido mais agressivo nessa hora, mas são coisas para aprender”, afirmou o chileno.