NOTÍCIAS Voltar

CUEVAS É PRIMEIRO TRICAMPEÃO CONSECUTIVO DA HISTÓRIA DO BRASIL OPEN

Após muita espera devido à chuva, uruguaio conquista mais um troféu em São Paulo em virada sobre Ramos-Viñolas

São Paulo, 06 de março de 2017 A espera foi longa, mas Pablo Cuevas sagrou-se o primeiro tricampeão consecutivo da história do Torneio Aberto do Brasil - ATP 250 - Brasil Open 2017. Após uma interrupção no meio do segundo set devido ao mau tempo no domingo, o uruguaio virou a final contra o espanhol Albert Ramos-Viñolas nesta segunda-feira, com parciais de 6/7(3), 6/4 e 6/4, no Esporte Clube Pinheiros.

Cuevas igualou o número de troféus de Nicolás Almagro na competição. O espanhol, no entanto, não venceu seus três troféus no Brasil Open de forma seguida (2008, 2011 e 2012). “Foi muito diferente do que nos outros anos. Não vinha jogando bem no começo da temporada. Tive que virar alguns jogos, como nas quartas de final, e ontem o jogo parou quando eu estava um set abaixo. Mas eu tive forças para virar e conseguir um terceiro título aqui”, afirmou o 33º do mundo, que levou 250 pontos no ranking da ATP e US$ 81.220 de premiação.

O jogo havia sido interrompido quando os dois estavam empatados em 3/3 no segundo set. O confronto foi retomado às 18h da segunda e Cuevas conquistou uma importante quebra de saque para levar a parcial e forçar o set decisivo. O uruguaio quebrou novamente o serviço do espanhol no quinto game e selou a vitória após 2h59 de tempo total de jogo. Em seu quarto match point, Cuevas surpreendeu ao sacar por baixo e se ajoelhou no saibro da Quadra Central após um erro não-forçado de Ramos-Viñolas.

“Estava fazendo muitas duplas-faltas no jogo. Quando fui sacar o segundo saque, tinha muita chance de fazer dupla-falta, então analisei a possibilidade de sacar por baixo e pensei que era uma coisa que não deveria fazer, mas também não deveria fazer uma dupla-falta (risos). Então parei de pensar”, explicou o tricampeão.

Cuevas também falou sobre a tensão da longa interrupção, com a pressão de ter que virar para ganhar o jogo: “Ontem, no primeiro set, tive muitas oportunidades de quebrar o saque dele, tive set points, mas não consegui ganhar o primeiro set. Entrei em quadra hoje nervoso, um set abaixo e muito perto de perder o segundo, mas consegui quebrar no terceiro e comecei a ficar um pouco mais tranquilo. Foi uma final diferente de qualquer outra por causa de tudo que aconteceu”.

Ramos-Viñolas, por sua vez, levou 150 pontos no ranking e US$ 
42.775 de premiação pelo vice-campeonato. “Tentei ficar tranquilo em todo o tempo que esperamos. Não consegui jogar no mesmo nível que ontem. Tive muitas chances, 15-40, break points, mas não era meu dia”, lamentou o espanhol de 29 anos.

“Estou muito decepcionado pelo meu nível hoje. Não estava à altura do que estava fazendo nos últimos meses. Mas vou tentar pensar que foi uma boa gira sul-americana, que foram quatro torneios muito bons”, ponderou o 24ª do mundo, que alcançou também as semifinais de Quito e Rio de Janeiro e as quartas de final em Buenos Aires. Ele e Cuevas agora partem para a quadra rápida californiana, no Masters 1000 de Indian Wells.

Galeria de campeões de simples do Brasil Open:

2017 - Pablo Cuevas (URU)
2016 - Pablo Cuevas (URU)
2015 - Pablo Cuevas (URU)
2014 - Federico Delbonis (ARG)
2013 - Rafael Nadal (ESP)
2012 - Nicolas Almagro (ESP)
2011 - Nicolas Almagro (ESP)
2010 - Juan Carlos Ferrero (ESP)
2009 - Tommy Robredo (ESP)
2008 - Nicolas Almagro (ESP)
2007 - Guillermo Cañas (ARG)
2006 - Nicolas Massu (CHI)
2005 - Rafael Nadal (ESP)
2004 - Gustavo Kuerten (BRA)
2003 - Sjeng Schalken (NED)
2002 - Gustavo Kuerten (BRA)
2001 - Jan Vacek (CZE)